Portugues Español English
Busca:
Facebook Twitter You Tube Intagram Intagram
Grandes mestres
 
 


História da arte

 
 



Você está em: Home > Cultura > História da arte - Interferência
Voltar
História da Arte

Interferência

Com a produção artística contemporânea, a pintura deixa de ser uma arte claramente definível e não é mais a única forma de fornecer memoráveis imagens visuais. Alguns artistas descobrem uma maneira diferente de demonstrar sua arte, surge a Interferência. As obras desse movimento se dão por meio da intervenção do artista na paisagem com objetos diversos como, por exemplo, cortinas e guarda-sóis expostos em paisagens naturais e prédios e lugares públicos embrulhados como presentes.

A Interferência é uma arte de momento cuja graça está na baixa durabilidade e no efeito que é causado no instante em que se revela a obra. É, principalmente, uma arte que se basta em ser notícia, não tendo a necessidade de ser vista e muito menos de ter qualquer significação artística.

Uma das figuras mais célebres da Interferência foi o escultor americano, de origem búlgara, Christo Javacheff. Inicialmente, ele realizava as empaquetages empacotando garrafas, latas e caixas utilizando roupa ou plástico. Mais tarde, alargou o âmbito das suas packages, envolvendo, com tecido sintético, atado e esticado por cordas, estruturas como edifícios, pontes e até extensões de terreno acidentado, em áreas costeiras.

As obras de maior destaque de Christo são a Cortina no Vale, Ponte Neuf (Paris) embrulhada para presente, Guarda-sóis colocados em um vale da Califórnia e o Reichstag (Parlamento Germânico em 1988 - Berlim), que foi envolvido em tecido sintético com duração de duas semanas.